Kendo vs Kenjustu

Treino de Kenjutsu.

Treino de Kenjutsu.

É muito comum encontrar o sufixo “dô” (道) ou “jyutsu” (術) na composição de nome de artes marciais japonesas e tais designações trazem conceitos ligeiramente diferentes. Temos, por exemplo, o judô e o jiu-jitsu (uma grafia mais próxima ao japonês seria: ju jyutsu), que são artes correlatas, mas não idênticas. Temos também as artes marciais que são normalmente encontradas apenas coma terminação “dô”, karatê-do, aikidô e etc. Assim como o judô, o kendô tem uma arte marcial correlata: o kenjustu. Ao pé da letra kendô significa “caminho da espada” e “kenjutsu” “técnica de espada” e no passado ambas era quase sinônimas. Enquanto o “ken” (剣), é um elemento comum a ambas as palavras e significa a espada, a diferença fica por conta dos sufixos. Dô (道) tem um significado um pouco mais filosófico e moral, já o sufixo jutsu ou jyutsu (術) tem um sentido mais prático, um saber técnico e especializado.

Treino de Kendo em Jundiaí

Treino de Kendo em Jundiaí

Mas afinal qual a diferença? Na prática, não há muita diferença. Ambas usam equipamentos idênticos e tem golpes semelhantes. Uma das poucas diferenças práticas é o “kata” ou movimentos combinados usando a espada de madeira. A principal diferença fica mesmo por conta dos objetivos de cada arte marcial. A grosso modo, o objetivo do kenjutsu seria aprender a manejar uma espada visando golpear alguém e por isso possui vários estilos. Por outro lado, o kendô tem uma proposta mais profunda: desenvolvimento pessoal e coletivo através do manejo da espada. O kendô não espera formar samurais e não prega um o retorno ao passado. Contudo, ao se praticar, é esperado que a pessoa traga o passado para o presente, aplicando conceitos e práticas de desenvolvidas há muitos anos no Japão para sua vida moderna, tendo assim uma melhor qualidade de vida e melhor autoconhecimento. Vale ainda ressaltar que kenjutsu e kendô não são antagônicos, sendo muito comum que no Japão pessoas treinem o kata de algum estilo de kenjutsu e pratiquem kendô.

Comments are closed